Terras Jurassicas

Terras Jurassicas
Quando Eles Mandavam

4 de outubro de 2014

E Se...(parte 6)

Após bastante tempo, continuando a série de dinossauros fictícios "E Se...", hoje trago a evolução dos Triceratopos, o RHYNOCERATOPS.

Nome: Rhynoceratops grandis 
Significado: Rosto com Chifre Nasal
Época: 65-55 MAA
Tipo: Ceratopssaurídeo
Tamanho: 10 m de comprimento, 4.5 metros de altura
Peso: 10 toneladas
Alimentação: herbívora.

Características e Histórico:
Este Ceratopssaurídeo possui apenas dois chifres, o mais longo
com pouco mais 1.5 m de comprimento por cerca de 80-85 cm de diâmetro. 

Um deles está sobre o focinho, e o outro, bem no meio da cabeça, e da testa, 
sendo menor.

Com o passar dos milhares de anos, os Tricerátops, mesmo sendo
poderosos e resistente, vez ou outra acabavam virando refeição dos
carnívoros grandes e temidos do final do Cretáceo.

Desta maneira evoluíram de forma que o chifre nasal acabou crescendo tanto,
ficando mais comprido, que os dois córneos na cabeça, acima dos olhos,
tornaram-se sua segunda arma, pois quando era atacado, ele poderia se defender,
ao mesmo tempo que manteria uma distância segura do predador, causando-lhe
sérios danos na região abdominal. 

Apesar de ter crescido, o Rhynoceratops, mesmo sendo mais comprido, tinha
peso parecido com o do Tricerátops, o que o deixava ainda mais rápido nas
investidas e tornava sua fuga certamente mais eficaz. Além disso tudo,
ele ainda havia ficado mais alto com a evolução do passar de milhões de anos,
o que tornaria mais difícil um predador menor saltar em suas costas, além de 
dificultar também a vida dos maiores predadores.

Porém, apesar dos chifres, quando filhotes, eles nascem com um verdadeiro "colar de
espetos", feitos de queratina (tal qual o bico de algumas aves), 
com cerca de 50 ossos pontiagudos, que serviam para proteger tal animal quando
filhote, de seus predadores naturais, como o Atroxsaurus ou os bandos
de Dragoptors. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário