Terras Jurassicas

Terras Jurassicas
Quando Eles Mandavam

19 de janeiro de 2018

Em breve mais Dino Duelos!

Voltaremos em breve com mais Dino Duelos.



Se você tem algum Dino Duelo específico que gostaria de ver por aqui, conte para nós através dos comentários e nós faremos a análise e batalha detalhada.

Fiquem ligados!

17 de janeiro de 2018

Nomenclatura e Classificações: Equívocos, Erros e algumas Mudanças - Parte Final

Encerraremos a série sobre os Equivocos e dúvidas nas Taxonomias dos dinos tratando de dois casos bastante conhecidos: Triceratops x Torosaurus e Allosaurus e seus similares.

[CASO 7] Torosaurus x Triceratops: Um dos casos mais recentes e controversos

Passamos então ao Triceratops e tratando da "situação" em relação ao Torosaurus.

Você já cansou de ouvir falar que o Triceratops era grande, bastante pesado, quadrupede e possuía como principal característica o crânio, com dois enormes chifres pontudos e um terceiro, menor, na ponta do focinho/bico. Também sabe que se trata de um dos poucos que poderia por um T.rex para correr.

Ambos se tratam de animais muito parecidos, tão parecidos que atualmente se acredita que são sim o mesmo animal. O Torosaurus tem a fama de ter uma das maiores cabeças do reino dos dinossauros, chegando a medir cerca de 2.5 m de comprimento, bastante, ainda mais considerando os 8 m totais do animal.

Mas a discussão que surgiu nos últimos anos se trata da seguinte: Seria o Torosaurus um Triceratops maduro? Ou se você preferir, seria o Triceratops um Torosaurus jovem?

Crânios fossilizados de ambos animais em idades diferentes
Grande parte da comunidade cientifica pensa que são sim o mesmo animal, mas em diferentes estágios da vida, em diferentes idades e momentos da vida. Talvez o que leve a pensarem desta forma é a quantidade de fósseis de Triceratops jovens ou sub-adultos e a de Torosaurus já mais velhos, além da já mencionada aparência e forma muito próximas.

Desta forma, admitia-se que os Triceratops adultos poderiam passar de 9 metros de comprimento, pesar cerca de 10-12 toneladas por 3 m de altura. Mas aqui teríamos a probabilidade, por existirem, mas serem escassos os materiais fósseis de animais adultos e mais velhos. Tudo seria conjectura.

Já o Torosaurus apresenta uma maior quantidade de fósseis de animais mais maduros, com comprimento mais palpável de 8-9 m, altura de 2,5 m e peso de cerca de 7-8 toneladas, o que o colocaria como uma espécie menor.

Fóssil de Triceratops
Porém, nesta linha de raciocínio e reviravolta cientifica, falta de grande quantidade exemplares de idades exatamente opostas para ambos, poderia (ou não) apenas ensejar que a falta de material maduro do Triceratops coloca as estimativas muito próximas a de um Torosaurus adulto, seria algo conciliável, posto que tais estimativas de animais mais velhos batem quase em cima dos velhos Torosaurus.
Diferenças básicas nas "coroas": São ou  não o mesmo dino?

Talvez isso apenas signifique que são os mesmos animais e que as estimativas estariam um pouco equivocadas, puxando o Triceratops para algo ainda maior do que seria, só que com a probabilidade do Torosaurus ser o mesmo animal só que agora se comprovando que quando maduros seriam um pouco menores. E talvez, por acharem se tratar de dois diferentes animais, isso descontinuaria a validação de tamanho máximo estimado para o Triceratops, com a confirmação agora factual.

Mas a mudança seria tanta que até o crânio mudaria a ponto de ganhar as cavidades que nomeiam o Torosaurus?

Localização geográfica das suas espécies
Já observamos em outras postagens que para os Tyrannosaurus isso poderia acontecer, ou seja, a forma mudar um pouco, mas será que em casos como o do Triceratops chegariam a tanto?

Vale ressaltart que a grannde maioria acredita que ambos são dois animais diferentes, de dois genus diferentes (eu particularmente concordo), apesar de muito semelhantes. Outros continuam batendo na tecla e seguindo a teoria de que são o mesmo animal em estágios diferentes da vida.

Enquanto nada se confirma, a maioria pode ficar sossegada, pois o querido Triceratops está garantido, ou seja, mesmo que se confirme um dia que o Torosaurus nada mais é do que um Triceratops maduro, o nome Triceratops horridus é anterior, continuamente usado e, incomparavelmente, muito mais famoso, o que com toda certeza, seguindo as regras mais modernas da taxonomia, asseguraria o Triceratops como um "Nomen protectum", já que se enquadraria nas 3 regras.


O Poderoso Allosaurus: Predador feroz e temido até por saurópodes

[CASO 8] - Allosaurus x Epanterias x Saurophaganax: Quem é o Rei do Jurássico?

Vamos a um dos casos mais complicados: Afinal existem 3 espécies de Allosaurus (fragilis, amplexus e maximus) ou todos são dinossauros diferentes, mesmo que semelhantes?

Encontrado em 1877 por Marsh, o Allosaurus (AMNH 680) era um carnívoro de grande porte, se apresentando como um animal extremamente leve em proporção ao seu grande tamanho, e que, com toda certeza deveria apresentar um alto grau de ferocidade e força bruta. Além disso, com a achada de verdadeiras "famílias" quase completas desse monstro sanguinário, ficou mais do que comprovado que caçariam em bando, sendo capazes de abater os poderosos e enormes saurópodes que passeavam pela paisagem de mais de 150 milhões de anos atrás.

Porém, outro animal que teria sido encontrado por Edward D. Cope, mas em 1878, seria bastante parecido, podendo se tratar do mesmo gênero de carnossauro, só que fora nomeado Epanterias amplexus. 

Saurophaganax? Epanterias? Ou Allosaurus?

Houveram discussões que colocariam seu tamanho como algo ainda maior.

No começo dos anos 30 surgiram, na mesma formação onde o Allosaurus fora encontrado décadas antes, um animal ao redor de 10 a 13 metros, parecido com o Allosaurus, pesando por volta de 3 a 4 toneladas.

Restou nomeado Saurophagus maximus. Porém Saurophagus já era um nome usado desde quase 100 anos antes para uma espécie de pássado, portanto gerando um caso de "nomen nudum", caso em que o nome já está em uso e, neste caso, por um animal que nada tinha de relação com o Allosaurídeos imenso. Assim, o terópode parecia esquecido por um tempo.
Fóssil do Allosaurus em comparação com outros espécimes


De lá até os anos 90, o Epanterias fora mantido como sinônimo de Allossauro, o Allosaurus amplexus, portanto, mesmo genus mas espécie diferente.

Assim, o poderoso Leão do Jurássico teria sido ainda maior, mais pesado e poderoso, alcançando agora 12 metros de comprimento por 5 m de altura (antes teria no máximo 10m por 4m de altura). O peso, de 1,5 a 2 toneladas passaria a pelo menos 4 ton. Desta maneira, Allosaurus seria o nome mantido e válido, tendo sido descoberto com um ano de antecedência ao Epanterias e muitos anos antes do Suarophaganax, apenas apresentando animais um pouco maiores, onde alguns sugeriam até 13 metros por 5 toneladas.

Martelo batido e caso encerrado!

Não, ainda não.

Epanterias seria um grande Allosaurus ou outro dino?
Em 1994 o Epanterias fora recolocado no páreo e novamente separado como outro dinossauro, sendo vendido como maior até do que o Tyrannosaurus e Giganotosaurus (me lembro bem das revistas da época vendendo essa imagem do possível gigante ser o mais longo dos terópodes) e que naquele momento se estudava qual dos dois teria sido o maior dinossauro carnívoro a passar pelo planeta, onde o Epanterias teria atingido 15 metros de comprimento, enquanto os outros monstrengos chegariam a pouco mais de 14 metros no máximo. Mas se considerava o Allossaurídeo mais leve, primitivo e provavelmente mais ágil e veloz.

Finalmente em 1995, o "terópode esquecido" do espécime OMNH 1708 fora rebatizado como Saurophaganax maximus e reabilitado como espécie válida.
Mesmo gênero e diferentes espécies? Ou animais diferentes?


Naquele momento tinha-se a ideia de que o Saurophaganax seria maior do que o  Allosaurus, tal qual Epanterias, sendo também feroz e perigoso, medindo até 13 metros, desafiando o posto supremo de predador rei do Jurássico. Outros estudos diziam que ele teria por volta de até 14 metros no comprimento, sendo maior do que se imaginava (os fósseis sugerem algo entre 10.9 e 11 metros como mais palpáveis).

Depois disso, acabaram analisando os fósseis do Saurophaganax, chegaram a conclusão de que era um Allosaurus, só que maior, talvez de uma espécie diferente, ligeiramente diferente e um pouco mais massuda e longa, onde  alguns chegaram a batiza-lo como Allosaurus maximus. E assim, o Epanterias acabou "entrando no esquema" e sendo visto como outra espécie, mas todos pertencendo ao gênero Allosaurus.

No entando, nos últimos anos, as coisas ocilaram demais e as certezas viraram dúvidas.

No começo dos anos 2000 um estudo publicado sugeria que ambos se tratavam sim de animais iguais, após algumas descoberta nas Morrison Formation, local onde este tipo de animal tem seus fósseis encontrados comumente.

Logo depois, alguns poucos anos mais à frente (entre 2004-2005), houve uma nova revisão que serapou novamente os dois, Saurophaganax e Allosaurus. Assim, Saurophaganax seria sim maior e mais pesado do que o Allosaurus, porém formas bastante próximas.

Atualmente se compreende que o espécime referente ao Epanterias de 1878 (AMNH 5767 - que teria cerca de 12m e não mais 15, pois fósseis de um saurópode foram confundidos como pertencendo ao mesmo), como sendo apenas um indivíduo maior do Allosaurus. 

Nos idos de 2008 novos fósseis do Saurophaganax foram encontrados e, a partir deles, se imagina que surja alguma solução e se encerre o debate entre as espécies. Uma mudança que parece ter ocorrido foi a de que, pela analise prematura dos fósseis, o Epanterias seria na realidade não um Allosaurus enorme, mas sim, apenas outra ossada de Saurophaganax, o que mais uma vez deixaria a espécie confirmada como um dinossauro diferente do Allosaurus, mas com mais peculiaridades, sendo maior.

Atualmente se consideram os três como animais diferentes
Desta forma seria quase possível dizer que o Epanterias = Saurophaganax e ambos são diferentes do Allosaurus, que deixaria de ser o maior dinossauro carnívoro de seu período, já que os espécimes antes atribuídos ao mesmo como indivíduos maiores, eram na realidade, outro dino. Ressalto que o tamanho maior não significa que seriam mais ferozes, lugar que com certeza ainda pertence ao Allosaurus.

Enfim, tudo isso ainda pode sofrer mais uma reviravolta. Sem martelo batido, tudo segue em aberto e confuso.

Por aqui ficamos com este tema.

E você? Lembra de mais algum caso famoso de equivoco que nós esquecemos? Se sim, compartilhe conosco nos comentários (com respeito e educação, é claro).

Um grande abraço a todos e até breve.

11 de janeiro de 2018

Nomenclatura e Classificações: Equívocos, Erros e algumas Mudanças - Terceira Parte

Mais uma parte da Série sobre Taxonomia. Esta é a terceira e penúltima parte, que será sucedida pela última parte, em breve.
Nannotyrannus
[CASO 5] Tyrannosaurus x Nannotyrannus: Outro dino ou apenas um espécime jovem?

No final dos anos 80, há cerca de 30 anos atrás, fora encontrado uma espécie de Tiranossaurídeo, mas que seria pequena em comparação ao T-rex. Além disso, teria sido contemporânea do mesmo.

Por se tratar de um parente pequeno do T-rex, nomearam o mesmo como Nannotyrannus, algo como "Tirano pequeno", sendo cerca de 3x menor que o parente mais famoso (alcançando 3m de comprimento por 2m de altura), tanto em altura quanto em comprimento.

Os restos mortais do dino apontavam para um Tiranossaurídeo descoberto por volta dos anos 40 (1942-1946), por Charles Gilmore, o *Gorgosaurus lancensis, quando mais de 4 décadas depois, Bob Bakker, juntamente com outros especialistas, escavaram um espécime que era idêntico ao espécime de 1942 e chegaram a conclusão de que era um animal adulto, simplesmente se baseando no fato de que os ossos do crânio estavam todos fundidos, colados(como acontece com os humanos também, por isso o perigo de bebês baterem suas cabeças).

A partir desse momento até os idos de 2001-2005, o Nannotyrannus era um Tiranossaurídeo pequeno que dividia a paisagem Cretácea com o T.rex. Com a descoberta do famoso fóssil de T.rex conhecido como "Jane", que se tratava de um animal jovem, praticamente idêntico ao Nannotyrannus descoberto há tempos, chegou-se a conclusão de que seriam o mesmo animal, e assim, sendo, apenas um T.rex jovem.

Novas pesquisas e ressonâncias apontavam "Jane" como um animal ainda jovem e sustentavam o Nannotyrannus como uma espécie diferente, mas muito parecida, quase idêntica.
O Fóssil "Jane"

Até que em 2015 novas descobertas de um Nannotyrannus completo o suficiente, apresentava braços medindo cerca de 91 cm de comprimento e apresentando ossos nas mãos tendo a metade do comprimento dos das mãos de "Sue", um T.rex de 13 metros quando em vida.

E daí? E daí que essas diferenças nos ossos dos braços e nas falanges já distinguiriam o animal como um genus diferente, afinal ele teria braços mais longos em comparação ao corpo, algo comum em ancestrais do T.rex e Tarbossauro. Aliado a isso surgem outras analises apontando que o posicionamento dos vasos sanguineos e das inserções do nervo ótico são bastante distintas, o que fatalmente confirmariam o Nannotirano como um outro animal. Mas ainda existe a possibilidade de serem o mesmo animal em várias fases da vida, já que as dimensões e formas dos crânios do T.rex poderiam variar conforme se desenvolveriam.

Nannotyrannus teria sido um dos mais velozes carnívoros
Um fato interessante que apimentaria todo a controvérsia foi a análise divulgada em um estudo de 2016, que colocaria o Nannotyrannus não apenas como uma outra espécie de dinossauro, como também lhe atribuiria algo a mais: uma velocidade incrível de cerca de 64 km/h enquanto perseguindo suas presas. A partir de análises dos ossos da tíbia e em comparação com animais como Velociraptor (cerca de 30-35 km/h), Allosaurus (cerca de 27-32 km/h) e Tyrannosaurus (ao redor de 22-25 km/h), chegaram a conclusão, portanto, de que as velocidades do Nannotyrannus excediam a de qualquer um deles, três dos mais famosos carnívoros por larga vantagem.

[*] Vale um adendo aqui - O Gorgosaurus lancensis e o Gorgosaurus libratus teriam sido espécies que chegaram a ser confundidas durante muito tempo com o Albertosaurus sarcophagus, de tão similares que seriam. Assim seriam 3 espécies de Albertossauro e não uma. Porém, mínimas diferenças nas estruturas do crânio e alguns ossos reconsideraram o animal como sendo diferente do "primo" mais famoso. Porém muitos colocam o Gorgosaurus com sinônimo de Albertosaurus, só que durante sua juventude.
Diplodocus

[CASO 6]
Seismosaurus x Diplodocus: Dois saurópodes diferentes ou apenas uma espécie maior do outro?


O Diplodoco é um dos mais famosos dinossauros saurópodes do mundo, a ponto de que desde sua descoberta, abriu uma família dentro da vasta gama de saurópodes conhecidos, os Diplodocídeos, conhecidos pelas longas caudas que terminariam em um "chicote", talvez usado para repelir ataques de predadores em uma batalha pela sobrevivência.

Amplamente estudado e conhecido, o Diplodocus carnegii viveu há cerca de 152 milhões de anos atrás, alcançando ao redor de 30 metros de comprimento, mais de 14 deles somente da cauda (o que daria o comprimento de um Giganotossauro, por exemplo)  e alcançando entre 15 e 20 toneladas.

Ok, não é o maior, mas certamente um dos mais famosos e peculiares tipos entre os dinos.

Estes formidáveis animais porém, não seriam tão grandes comparados aos seus parentes Seismosaurus, que teriam sido, segundo sempre rezou  "a cartilha do bom especialista" os mais compridos animais a terem um dia pisado na Terra (mas não os maiores).

Seismosaurus: O mais longo dino?


Segundo seu descobridor, David Gillette, ele teria encontrado o maior dos grandes saurópodes ao se basear nos fósseis escavados, mas ainda não montados, alcançando entre 40 e 52 metros de comprimento total por mais de 50 toneladas, sendo o maior membro da Família dos Diplodocídeos.
Essa afirmação teria surgido devido ao fato de que ao olhar para as vértebras caudais (elas, sempre elas causando confusão) do enorme monstro, ele pensava se tratar de alguma parte da metade da cauda, o que tornaria o animal mais longo e muito mais pesado, quando na realidade, aquela seria a parte mais grossa por estar perto dos quadris do animal.

No fim das contas o animal teria por volta de 32 a 36 metros de comprimento, sendo completamente mais leve e mais modesto do que em comparação com as estimativas iniciais que rondavam os mais de 40m.

Comparações dos fósseis
Um Seismosaurus teria então em tese ao menos 35 metros de comprimento, pesaria mais de 40 toneladas e notadamente seria maior do que qualquer Diplodoco, certo? Certo. Até aí.

Porém, já não bastasse a ampla redução no tamanho, evidencias surgiram e apontaram que ele não apenas era da mesma Família do Diplodoco, como também era um Diplodoco. Era certamente maior e mais pesado, sendo que as diferenças entre os dois apenas o colocariam como uma outra espécie de Diplodocus, porém maior.

Considerando todo o contexto da Taxonomia, Diplodocus era e é um nome mais famoso, muito anterior e demasiadamente usado,, assim sendo, o Seismosaurus hallorum não existe mais, em mais um caso de "Nomen Oblitum", passando a ser conhecido como Diplodocus hallorum, espécie maior de um genus conhecido como Diplodocus, onde atualmente temos *duas espécies de Diplodocus: hallorum e o clássico carnegii. 
Diplodocus hallorum

[*] Mais um adendo: Não estamos considerando ainda as espécies longus e lacustris, por se tratarem de outros casos de "nomen dubium" ou ainda de genus diferentes, podendo, respectivamente, pertencerem ao longus e talvez ao Camarasaurus. Vale também ressaltar a confusão entre Supersaurus e Seismosaurus, que seriam o mesmo animal, agora convertidos em Diplodocus.



Por hoje é isso.

Voltaremos no próximo post para encerrar o assunto.

Até breve!

10 de janeiro de 2018

Nomenclatura e Classificações: Equívocos, Erros e algumas Mudanças - Continuação

Continuando as postagens sobre Taxonomia e alguns equívocos históricos quanto aos genus e espécies. 

Comparações: T.rex, Tarbosaurus, Alioramus Homem.

[CASO 3] Tyrannosaurus baatar x Tarbosaurus baatar: Mesmo animal ou Espécies diferentes?

Este tema já fora abordado aqui no blog, na postagem do Tarbossauro. 

Mas vamos lá, aqui se trata de um caso praticamente igual ao do Brontossauro. 

Por volta de 1955, na Mongólia fora escavado o Tarbossauro, a resposta asiática ao Tiranossauro. Ao que os fósseis foram sendo desenterrados e descobertos, aparentemente se tratava de um Tyrannosaurus, mas provavelmente de uma espécie diferente da espécie rex. Assim sendo teríamos Tyrannosaurus rex e baatar, duas espécies do genus Tyrannosaurus.
Tarbosaurus: adulto e sub-adulto

Teria o Imperador do Cretáceo estendido seus domínios até a terra do sol nascente? 

Poderia ser um caso como o do Carcarodontossauro, que viveu tanto na África quanto na América do Sul. 

O crânio tinha menos dentes, era mais longo e os braços diferentes. A estrutura menos robusta e maciça. Ainda sim eram grandes com dimensões parecidas. Isso levantou o questionamento de que seriam não espécies, mas na verdade, genus diferentes, dois dinos completamente parecidos, mas ainda diferentes.

De lá para cá o Tarbossauro virou o Tiranossauro da Ásia, depois voltou a ser o Tarbossauro e o debate continuou aceso por muito tempo. E talvez ainda fique circulando no ar, como uma ideia que vira e mexe, parece atormentar alguns cientistas e paleontólogos.

Comparação de fósseis
Atualmente assume-se que são dois dinossauros diferentes, como Giganotossauro e Mapussauro, que de tão parecidos já foram confundidos também.  O Tarbossauro é reconhecido como o segundo maior Tiranossaurídeo, muito embora alguns ainda o chamem de Tyrannosaurus baatar. 

Outro fato interessante desde os últimos anos é que o achado de outros Tiranossaurídeos menores, mais primitivos e ancestrais ao Tarbossauro na Ásia (como o Guanlong e o Dilong) e Europa (Eotyrannus) comprovaria que muitos dos primeiros membros da Familia dos Tiranossauros já perambulavam pela Ásia e Europa muito antes (até mesmo no Brasil existem Tiranossaurídeos, como o Santanaraptor, provável ancestral do T-rex), assim sendo, provavelmente Tarbossauro e Tiranossauro evoluíram em seus ecossistemas advindo de ancestrais completamente diferentes, tendo terminado a evolução em seus estágios máximos em animais bastante próximos, mas ainda sim, diferentes o suficiente para serem tratados como dois dinos e não um. Talvez eles tenham um ancestral comum que poderia eventualmente ter tido êxito e sido bem sucedido nos dois lados do mundo, garantindo o domínio dos Tiranos no final do Cretáceo. 


[CASO 4] Carcharodontosaurus x Megalousaurus: Rebatizando o Monstro

Outro erro quanto ao genus do animal foi quando descobriram o Carcarodontossauro, nos anos 20 do Século passado (precisamente entre 1925 e 1927).  

Como o Megalossauro foi o primeiro dinossauro encontrado, sendo o primeiro carnívoro descoberto, assumia-se que era uma forma genérica de se tratar os carnívoros nos primeiros anos do Século XX, pois se considerarmos atualmente a paleontologia, naquela época as coisas em relação a dinossauros ainda engatinhavam, portanto imagina-se que não se sabia da existência de tantas e tantas e mais variadas espécies da forma que hoje todos conhecemos e temos acesso. 

Assim sendo, o "Tubarão do Saara" acabou por ser erroneamente nomeado Megalosaurus, por pensarem se tratar do mesmo genus, mas de espécie diferente. 

Finalmente nos idos de 1931, Ernst Stromer analisou o fóssil (de cerca de 11 m, ao que se afirmava ser de um animal sub-adulto, ainda jovem e com potencial de maior crescimento) e então notou que aquela espécie não tinha qualquer relação com o Megalousaurus bucklandii, era uma espécie nova, pertencendo ainda a outra família que ainda seria batizada sob seu nome, a dos Carcarodontossaurídeos (que incluem espécies descobertas depois, como Giganotossauro e Mapussauro, em 1993 e 2006, respectivamente).

Megalosaurus



Com a Segunda Guerra Mundial e a destruição do Museu em Berlim, onde ficava o fóssil do holótipo, este dino demorou a receber o destaque que seu tamanho e forma distintos mereceriam, "ganhando" inclusive uma família exclusiva para dinossauros com tais características (crânio cônico e imenso, dentes enormes, curvos e serrilhados, corpo parecido com o dos Allosaurídeos, só que maior). 
Carcharodontosaurus

A fama deste dino estaria fadada a mudar apenas a partir de 1996, quando novos fósseis foram descobertos no atual Deserto do Saara, e então, seu status de "Réptil com dentes de Tubarão" certamente confirmado, passando a figurar entre os maiores e mais famosos dinossauros carnívoros do mundo todo, ganhando recentemente outra espécie em seu genus, a espécie iguidensis, encontrada na América do Sul, a qual primeira e erroneamente atribuíram a possibilidade de ser maior do que o Carcarodontossauro "clássico", quando na realidade se tratava de uma espécie menor do que a africana. 

Por hoje é só, voltaremos logo com mais!

9 de janeiro de 2018

Nomenclatura e Classificações: Equívocos, Erros e algumas Mudanças

Todos provavelmente já ouviram falar de Taxonomia, que seria a identificação e nomenclatura dos seres ou organismos biológicos, quer estejam extintos ou não.

O Taxonomista é o responsável por dar a nome que o ser carregará e pelo qual será lembrado, geralmente se valendo de alguma língua morta, como o latim ou grego.

A própria classificação de Dinossauros e Dinosauria remete a este tipo de classificação, afinal creio que todos já leram que Sir Richard Owen, em 1842 cunhou o termo Dinossauro, que significa Réptil ou Lagarto Terrível.

Bom, a partir disso sempre tenta se atribuir ao animal o nome se valendo de algo que remete a sua aparência, lugar onde fora encontrado ou até homenageando seu descobridor, por exemplo, Carcharodontosaurus saharicus, que significa "Lagarto com dentes de tubarão" em referencia a seus enormes dentes de 15 cm, curvos e serrilhados, e também ao enorme crânio, parecendo um tubarão devido a provável mordida fatal que aqueles dentes e mandíbulas poderiam desferir. Já o "saharicus" remete ao Saara, por ter sido descoberto na região norte Africana onde hoje é o Deserto do Saara.

Outros, como Andesaurus delgadoi remetem a Cordilheira dos Andes, devida a região que fora encontrado e o "delgadoi" se refere ao seu descobridor, Alejandro Delgado.

Isso tudo poderia ser mais um post falando sobre nomenclaturas  apenas. Mas resolvi tratar sobre o tema tendo em vista alguns equívocos históricos na nomeação e classificação de alguns dos mais conhecidos (outros nem tanto) dinossauros de sempre.

O super famoso Brontosaurus

[CASO 1] Brontosaurus x Apatosaurus: O Caso Mais Clássico

Quem viveu sua infância, ou boa parte dela, no Século XX certamente se lembrara de Fred Flintstone se dirigindo até um drive-thru pré-histórico e pedindo a famosa "Costeleta de Brontossauro", isso, aquela mesmo que fazia o carro dele, com toda sua família e pet, capotar, devido ao peso que uma costela do saurópode teria.

Como não existe "Bronto Ribs ao molho Barbecue", ficávamos imaginando como seria se dinos e homens tivessem coexistindo.

Divagações a parte, vamos voltar ao tema do post.

Amplamente divulgado pela mídia, o Brontosaurus era esmagadoramente famoso, ao lado de espécies como Tyrannosaurus, Triceratops e Stegosaurus, sendo indubitavelmente o mais famoso dos "dinossauros pescoçudos" (a La "Em busca do Vale Encantado", que foi meu filme preferido sobre dinos até surgir Jurassic Park, pois era como os próprios dinos falantes da animação se referiam aos saurópodes).

Aliás o termo saurópode era algo bastante vinculado aos especialistas e paleontólogos, já os fãs e não-estudiosos se referiam a todos os dinossauros de pescoço longo como "pescoçudos" ou então, genericamente como "Brontossauro".

Assim sendo, o Brontosaurus virou sinônimo de saurópode. Era como atribuir a marca ao produto.

Então era sempre explorado na mídia, exaustivamente, em parques que tinham réplicas de dinossauros (que eram mais comuns naqueles tempos) o Brontosaurus era o símbolo dos saurópodes, digamos que, tal qual o T.rex era para os carnívoros, este era para os herbívoros em geral, não apenas dinos saurópodes (posto que ao meu ver, agora pertence ao Brachiosaurus).

Então, após alguns anos surgiu o argumento de que o Brontosaurus era, na realidade, o mesmo animal do Apatosaurus, que fora descoberto cerca de dois anos antes.

A divulgação da notícia há alguns anos na mídia de forma bastante ampla e badalada abalou com toda certeza, a infancia da grande maioria que sempre reconheceu o comprido e pesado saurópode que permeou as terras da imaginação de sua infancia. De uma hora para outro ele jamais havia existido como Brontosaurus. Evidencias científicas comprovariam que Apatosaurus e Brontosaurus eram o mesmo animal.

Brontosaurus x Apatosaurus: Novo Capítulo
E, segundo as regras da Taxonomia, ao se constatar que duas espécies são na verdade o mesmo animal, obrigatoriamente o que fora nomeado primeiro seria aquele que carregaria o nome, seria o nome que passaria a valer, deixando o outro como sinônimo ou então, apagado para sempre.

Fim.

Opa, fim? Não...e segue a discussão.

Finalmente em 2015 o debate que parecia encerrado, ganhou um novo capitulo e, desta forma se constatou que sim "existem diferenças mínimas que garantem que ambos não são o mesmo animal, apesar de serem parecidos".

Os estudos revalidariam as teorias que Apatosaurus e Brontosaurus são membros diferentes da família dos Diplodocídeos, ambos se tratando de diferente animais, tal qual o próprio Diplodocus.

A ideia da pesquisa era estabelecer relações entre as espécies da "família Diplodoco". Ao analisarem mais de 80 fósseis de saurópodes, chegaram a conclusão então de que o Brontosaurus não apenas existiu e não fora o mesmo animal que o Apatosaurus, bem como também possuía 3 espécies diferentes: Brontosaurus excelsus, Brontosaurus parvus e Brontosaurus yahnahpin, tendo o excelsus sido o primeiro a ser encontrado.

Portanto, o Brontosaurus estaria revalidado, e a infância de muita gente, "salva". Desta forma hoje temos o Apatosaurus e o Brontosaurus, novamente como dois animais separados, como deveria ser de 1880 em diante.

Aliás, vocês conseguem perceber que os achados de 1877 e 1879 acabaram, não sei se por sorte, estando mais corretos do que as ideias de alguns poucos anos atrás, que davam conta das especies serem o mesmo animal?

Além disso tudo, a diversidade de espécies de animais tão parecidos na mesma época e em lugares iguais ou próximos não apenas traz o Brontosaurus de volta como também gera a indagação: como era e quanto era a flora Jurássica, em questão de abundancia de espécies e quantidade de exemplares, já que permitia que inúmeros seres tão impressionantes surgissem? Qual seria a bestificante oferta de comida para todos os enormes saurópodes que surgiam a pleno vapor?

Continuo a insistir naquilo que digo e escrevo: Ainda há muito a ser descoberto sobre dinossauros. E mais ainda, após descoberto a ser comprovado. O mundo não para, as descobertas também não. Tudo pode mudar de uma hora para outra.

Apatosaurus x Brontosaurus: Algumas (poucas) diferenças

Ainda há quem garanta que o Brontosaurus é sim o mesmo animal do Apatousaurus.

E parece que o Nosso Amado Brontossauro está de volta (bem, mais ou menos, ele ainda está extinto, mas existiu...pelo menos por enquanto ou até a próxima pesquisa).

Manospondylus gigas: O T.rex antes do T.rex

[CASO 2] Tyrannosaurus x Manospondylus x Dynamosaurus: O Rei e suas antigas alcunhas

O debate acerca do Brontosaurus trouxe à tona a validação ou não do nome até mesmo do famoso Tiranossauro.

Sim, afinal os primeiros materiais fósseis foram encontrados entre 1885 e 1900. E a nomenclatura usada na época seria "Manospondylus gigas", dada por Edward Cope ao redor de 1886. Depois, quando fora desenterrado e puderam finalmente ter um retrato mais fiel daquela besta enorme e cheia de dentes do Wyoming, o "descobridor oficial" Barnum Brown, entre 1902 e 1905, veio com a ideia de "Dynamosaurus imperiosus", que seria conferido graças a averiguação da descoberta de dimensões portentosas e da provável natureza feroz da fera.
Como se observa, existem algumas diferenças, mas apenas na reconstrução

Henry Fairsfield Osborn então, talvez num golpe de sorte, quem sabe, resolveu rebatizar o "Dynamosaurus" com um nome mais apropriado a sua magnitude e provavel poder, chamando-o de Tyrannosaurus rex, que seria o maior e o mais terrível e poderoso dos répteis crueis, fato que ele acabou por acertar, pelo menos segundo as toneladas de pesquisas realizadas até hoje sobre a fera. Se ele não foi o maior dos lagartões cruéis, aí fica a se critério (já expus exaustivamente que para mim, T.rex e Giganotosaurus são os maiores, considerando todas as unidades de medida e dimensão de um animal, mas colocaria Carcharodontosaurus e Spinosaurus junto dos dois, como sendo os maiores carnívoros, não tendo exatamente um que se sobressaia tanto), mas que é inegável a potencia e poder que um Tyrannosaurus tem, ahh meus amigos, isso é. E nisso Osborn acertou em cheio, não sei se por sorte ou por competência de ser o visionário que teria sido, mas acertou.

Em 1917-1918, Osborn então asseverou que na realidade o Manospondylus de antigamente, que era considerado uma espécie diferente e separada de animal, era na realidade o próprio Tyrannosaurus e assim, o nome que se seguiu foi o mais famoso. E Barnum Brown confirmou tal ideia em um artigo, em 1922.

Tyrannosaurus: Descrição diferente do mesmo animal
Quando toda a "coisa do Brontossauro" veio com força, surgiu a ideia então de rebatizar o Tyrannosaurus, afinal, o nome original seria Manospondylus. 

Isso seria um caso de "Nomen dubium", ou seja, o mesmo animal teria dois nomes e isso geraria toda a celeuma à cerca do nome que deveria ser o correto.

Em 2000 ressurge a questão: Deveriam ou não mudar o nome do mais famoso dinossauro? Não, afinal Tyrannosaurus era um nome usado há mais de 50 anos e com força, com status, o que garantiria o nome da espécie. Mas e no caso do Brontosaurus, famoso desta forma? Pois é, fica aí a questão, já que este ultimo era mais famoso do que Apatosaurus.

Mas enfim,  isso geraria um caso de "Nomen oblitum", que é quando o nome é simplesmente esquecido, abandonado, após ter caído em desuso. Tyrannosaurus é forte, tem status e é muito reconhecido, quer gostem ou não. Agora...Manospondylus...serio?

Mas existem algumas regras nestes casos de "Nomen oblitum" e no começo dos anos 2000 elas passaram a determinar o seguinte:

1º -O nome mais antigo, seja sinônimo ou homônimo não deve ter sido usado desde 1899 (ou seja, há mais de 100 anos)

2º - O nome mais novo do sinônimo ou homônimo ter sido usado para uma taxonomia especifica, particular, sendo presumido como nome válido e vigorante em pelo menos 25 trabalhos sobre o tema, publicado por pelo menos 10 autores nos 50 anos subsequentes.

3º - Um artigo deve ser publicado com o conteúdo da regra número 2, citando ambos ou todos os possíveis nomes juntos, deixando claro que o nome mais novo se tornou um nome protegido pelo status que recebeu, pela fama (que seria o "nomen protectum").

Talvez Manospondylus tenha sido sim, usado depois de 1899, mas as regras 2 e 3 automaticamente derrubariam a primeira, ou seja, Manospondylus 1x2 Tyrannosaurus. Percebem?

Tyrannosaurus continua...
Assim sendo, com a mudança inferida por Osborn em 1905, depois confirmado os sinônimos em 1917 pelo mesmo e a confusão tendo, aparentemente, sido desfeita e ainda, todo este "caminho até o T-rex", publicado por Brown em 1922, assegurariam o nome do mais famoso dinossauro do mundo.

Mas, convenhamos, Tyrannosaurus é um nome muito, mas muito melhor, soa com muito mais pompa.

PORTANTO
Nesta postagem observamos dois casos muito diferentes, apesar de algumas peculiaridades.

O Caso 1 temos dois dinossauros que acabaram virando apenas um, e, assim sendo, um dos dois nomes teria que cair em desuso. Mas seguindo as regras acima descritas, observamos que o Apatossauro fora descoberto antes e ainda era uma espécie e um nome válido pelos anos seguintes. Desta forma, se fossem os mesmos animais, o Brontossauro cairia em desuso, pois este nome teria exito na regra 2, mas não nas outras duas.

Mas a partir do momento que são genus diferentes, isso encerraria a discussão sobre taxonomia, e apenas iniciaria o debate de sinônimos ou especies muito semelhantes e próximas, mas diferentes.

O Caso 2 já se trata do mesmo animal, que fora renomeado, rebatizado. Além disso, o Manospondylus não teria sido tão bem descrito quanto o Tyrannosaurus, afinal o primeiro seria um grande carnívoro, enquanto o segundo, o maior e mais terrível, conforme se imaginava na época.

Por enquanto é só...voltamos em breve com outros equívocos e mudanças, algumas mais recentes.

Até breve.

6 de janeiro de 2018

NOVAS TEORIAS SOBRE OS MAIORES CARNÍVOROS - Final


Finalizando a sequencia com uma comparação entre o antes e o depois dos dinossauros

Nos últimos anos o que mudou para:

[1] Spinosaurus

Postura do Spinosaurus


POSTURA
ANTES DEPOIS
Bípede Quadrupede a maior parte do tempo fora d'água

Saliente-se que no passado distante já se admitia que talvez fosse quadrupede, parcial ou completamente.


Spinosaurus: Vida majoritariamente aquática

HÁBITOS E ESTILO DE VIDA
ANTES                            DEPOIS
Terrestre na maior parte do tempo            Vida aquática/marinha majoritária
Predador máximo e imbatível de sua cadeia     Dividia a paisagem com o Carcharodontosaurus

A partir de 1998 começaram a surgir as teorias de que seria um devastador carnívoro, quase invencivel, muito devido a seu enorme tamanho (o que não estabelece relação alguma com ferocidade, mas pode levar a equivocos). No passado também havia a noção de que era provavelmente aquático em (boa) parte do tempo (o que explicaria a serventia da vela nas costas: captação de calor visando regular a temperatura do corpo do monstro) e que o Carchadontosaurus era seu rival até mais feroz, em batalhas 50/50. As teorias mais antigas se mostraram erradas quanto a sua descrição fisica, mas muito oportunas quanto aos seus hábitos.


DIMENSÕES FÍSICAS
ANTES                    DEPOIS
Um dinossauro bastante alto (7-8m)   Quadrupede, portanto mais baixo nesta postura (4-5m)
O mais comprido dino carnívoro (12-18m)   Continua assim
Uma besta de mais de 20 toneladas bípede   Animal semi terrestre com osso leves e finos, pesando muito menos do que se estimava (8-10 toneladas)
Cerca de 18 m, 7 m de altura e 20 toneladas Cerca de 15-18 m, 4.5 m de altura e 8 toneladas
Dinossauros pesado, robusto e forte Dinossauro mais leve, menos robusto mas ainda muito forte.

A partir de fosseis isolados surgiu a teoria de que ultrapassariam os 15 metros ( o que acho provável) e pesariam mais de 18 toneladas, mas considerando que saurópodes andaram sobre quatro patas devido ao peso absurdo que tinham e que baleias que pesam aproximadamente isso (18t) se arrebentariam em seu proprio peso na terra, isso levaria a crer que mais uma vez ganha força a tese de que para suportar todo este peso o Spino precisaria de ossos super maciços e pesados, de músculos animalescos com tendões bastante espessos e fortes, o que sua própria estrutura mais grácil, nega a possibilidade de sustentação corporal. Isso também alimenta o motivo de seus braços serem tão maiores do que os de outros carnívoros, não apenas para capturar presas difíceis, tal qual crocodilos e peixes enormes, mas para se sustentar e se locomover num peso tão absurdo de 18-22 toneladas (o que, reitero, acho pouco provável para um bípede e plenamente possível para um quadrupede na maior parte do seu pouco tempo em terra, assim sendo vivendo a maior parte da vida em água).


Dieta piscívora na maior parte do tempo

DIETA
ANTES         DEPOIS
Megapredador caçador de dinos    Ainda superpredador, mas piscívoro na maio parte do tempo
Dieta basica de dinos e alguns peixes Dieta basica de peixes ou animais marinhos e alguns dinos

Portanto: Mesmo que fosse muito pesado, passando de 15 toneladas, seria um animal mais lento e certamente quadrupede e aquático, ao que em condições subaquaticas, provavelmente seria muito rápido e eximio nadador, o que facilitaria sua caça piscivora ou até para se locomover em 4 apoios fora d'água em perseguição a presas, tal qual jacarés e crocodilos fazerm velozmente nos dias atuais.

AGILIDADE
ANTES DEPOIS
Pesado, robusto e mais lento sobre duas patas Mais leve, mais ágil sobre 4 patas mesmo em terra.

Reconstruções Spinosaurus
Conclusões
Sua estrutura óssea denota que seria reconstruído da seguinte maneira: mais baixo, quadrúpede, com peso alto, bastante comprido, mas com cranio fino e longo, formas mais gráceis, sendo um animal mais ágil, menos pesado e provavelmente até mais feroz do que se imaginava.

O que mudou para:

[2] Giganotosaurus
O segundo da esquerda para direita, Giganotosaurus em sua atual postura

POSTURA
ANTES                 DEPOIS
Bípede com pescoço ereto Bipede e horizontal (cabeça na linha de altura dos quadris)

Tal postura facilitaria na hora da caça e perseguição das presas, mas não o impedia de andar com o pescoço ereto.

HÁBITOS
ANTES DEPOIS
Viviam em bandos Idem
Caçador de Saurópodes Idem
Predador Máximo do seu Nicho Ecológico Dividia a paisagem com o poderoso Mapusaurus, seu parente
Sem concorrente nem batalhas por território Provavelmente disputavam dente-a-dente com os Mapusaurus

Sua imagem de caçador em bando continua forte e, certamente eram grandes e poderosos adversários para qualquer Argentinosaurus da vida. A mudança aqui se dá no fato de serem contemporâneos dos Mapusaurus, que se tratam de dinos da mesma família, ambos sendo mais velozes e leves do que se imaginava, tendo o Giganotosaurus uma ligeira vantagem em sua estrutura mais rosbuta e cranio aparentemente mais espesso, com mandibulas mais poderosas.

Comparação dos esqueletos: T.rex mais alto, Giga mais longo


DIMENSÕES FÍSICAS
ANTES                        DEPOIS
Um dinossauro bastante alto (6-7m)        Mais baixo na nova postura (4.5-5m)
Carnívoro comprido        Continua assim
Estrutura óssea maciça e peso de 10 ton        Estrutura mais fina que o T.rex, peso mais leve
Cerca de 15 m, 7 m de altura e 10 toneladas Cerca de 13.5 m, 5 m de altura e 8 toneladas

Continua como um top5 dos maiores dinos carnívoros, apenas era menos maciço e alto do que se pensava, além dos tamanhos absurdos de mais de 15m no comprimento e 7 m de altura terem há muito caído por terra. Há de se salientar que o Giganotosaurus teria provavelmente uma mordida bastante poderosa, sendo mais forte que um crocodilo atual, comparável a um Tyranossaurus no início de sua vida adulta.

Giganotosaurus x Argentinosaurus

DIETA
ANTES                          DEPOIS
Megapredador caçador de saurópodes  Continua assim
Não existiria concorrência com outros dinos  Concorrentes diretos do Mapusaurus
Ferozes e poderosos matadores contumazes  Continua assim

Portanto: Antes se imaginava o Giganotosaurus como o predador único, máximo de sua cadeia, sem qualquer concorrência. Hoje sabe-se que os Mapusaurus coexistiriam com os mesmos, tal qual na África Spinosarus e Carcharodontosaurus. De qualquer forma, tendo presas como Argentinosaurus, a oferta de comida era algo que provavelmente não gerasse muita disputa. Ainda sim, eu apostaria minha fichas no Giga.

Estrutura mais leve do Giganotosaurus em comparação ao T.rex

AGILIDADE
ANTES                                  DEPOIS
Pesado, robusto e talvez um pouco lento (11km/)  Estrutura mais leve, ágil e veloz (talvez passando de 30km/h)

Conclusões:
Devido ao estudo de sua estrutura e a conclusão de que eram mais leves do que se imaginava, poderiam passar dos 30km/h (alguns acreditam em 40 km/h). Ainda se trata de um animal gigante, feroz e poderoso, mas mais ágil e significantemente menos pesado em sua estrutura física. Portanto era mais ágil e menos pesado, tendo estrutura menos maciça do que antes se acreditava. Atualmente se admite que era mais leve e mais rápido do que um T-rex. Assim sendo, seu peso seria em torno de 7-8 toneladas, com poucas possibilidades de alcançar as 10 ton. Então já não seria o dino carnívoro mais pesado e robusto.

O que mudou para:

[3] Tyrannosaurus



POSTURA
ANTES   DEPOIS
Bípede com pescoço ereto   Bipede e horizontal (cabeça na linha de altura dos quadris)

Lembrando que nos primórdios era tido como um animal que andava em posição vertical, ereto sobre as patas traseiras e tal visão somente mudaria a partir de 1990, com a descoberta de FNMH PR2081 ou "Sue" que era um fóssil quase 100% completo. Até então nunca haviam sido encontrados fósseis de T.rex com os dedos e a cauda em bom estado. Por isso o holótipo que tinha 12 m de comprimento por 5,49 m de altura fora montado com 3 dedos nas mãos ao invés de dois e, mais 2 m de vértebras caudais adicionados erroneamente, atingindo por volta de 14,3 m.


Cópula de casal T.rex: Sim, até este hábito dele foi estudado. Os braços ajudavam também nesta hora

HÁBITOS
ANTES                   DEPOIS
Viviam solitários           Viviam em grupos e caçavam coordenadamente
Necrófago, se alimentava de carcaças    Poderosos caçadores, com cérebro 3x maior que as presas
Predador Máximo do seu Nicho Ecológico     Continua assim, mas sendo mais eficaz e inteligente
Sem concorrente em batalhas por território   Continua assim
Predadores lentos de baixa acuidade mental   Predadores fortes, rápidos, perigosos e muito ferozes
Menos feroz do que anteriormente creditado      Muito mais feroz e sanguinário do que se imaginava, mas ainda sim inteligente
Braços pequenos, fracos e inúteis em batalha  Braços pequenos, extremamente musculosos e capazes de ajudar em uma luta, segurar, prender e "ajeitar" a presa, capazes de erguer uma quantia considerável de peso, ajudar a se levantarem e a segurar as fêmeas durante a cópula.
Reconstruções dos Esqueletos dos Maiores Fósseis de T.rex (falta UCMP 118742)

DIMENSÕES FÍSICAS
ANTES                            DEPOIS
Um dinossauro bastante alto (6-7m)    Mais baixo na nova postura (4.5-5m)
Carnívoro comprido            Continua assim
Estrutura óssea maciça e peso ao redor de 8 ton   Estrutura mais robusta que Giga, o que o colocaria com +10 t
Cerca de 12 m, 6 m de altura e 8 toneladas    Cerca de 13.5 m, 5 m de altura e ao menos 10 toneladas

O mais famoso dos Dinos já cresceu, encolheu, cresceu ainda mais, diminuiu novamente, se agigantou mais uma vez, álem de ter ganho e perdido peso nas mais variadas teorias atualmente. Porém, se admite que seria bastante pesado e robusto, mais até do que o Giganotosaurus, embora ambos fossem mais baixos do que se imaginaria anteriormente, muito devido a mudança de postura.


Ankylosaurus x T.rex

DIETA
ANTES                           DEPOIS
Predador caçador de dinos "bico de pato"   Caçava também os maciços Ankylosaurus e Triceratops
Não existiria concorrencia com outros dinos     Não há concorrencia direta de carnossauros.
Predador estúpido e praticamente necrófago     Ferozes e poderosos matadores contumazes

Portanto: Anteriormente se admita o T-rex como um superpredador ameaçador e terrivel (1902-2000). Depois surgia a teoria (meados de 2000) de que seria necrófago, lento e inútil, apenas se alimentando de animais já mortos. Então novas descobertas (2009-diante) revelaram animais que foram atacados por T-rexes em vida, o que comprova seu apreço por caça, mas não nega o oportunismo da necrofagia, afinal, comida é comida. Novas conclusões através de estudos divulgados em Maio/2017 apontam que o Tyranossaurus mordia com uma força desproporcional, superando as 7 toneladas (ou o peso de 3 carros, conforme diz a pesquisa) e que, algo surpreendente até para os pesquisadores, a potência de sua mordida aumentaria conforme seu crânio crescia ao adentrar a vida adulta, ou seja, um T.rex mais velho provavelmente carecia de velocidade e agilidade, mas sobrava em força e potencia, assim sendo, quanto mais velho fosse, mais poder tinha em suas mandíbulas, muito devido a musculosidade impressionante de seu pescoço extremamente forte. Outro fato impressionante foi que dentre a já conhecida capacidade de esmagar ossos, a mordida do T-rex provavelmente "explodisse" ou pulverizasse" os ossos, nas palavras dos próprios cientistas. (Muitos estão me achando um super fanboy, não é mesmo? Podem ficar descansados pois o link da pesquisa estará devidamente anexado a seguir: www.dailymail.com.uk/sciencetech/article-1388574 e //blog.everythingdinosaur.co.uk/blog/_archives/2012/02/29)



AGILIDADE
ANTES                         DEPOIS
Pesado, robusto e muito rápido (42 km/h) Estrutura robusta, pesada e velocidade menor (25 km/h)

Conclusões:
Novas descobertas concluiram que o T-rex tinha uma inteligencia superior ao seus contemporâneos, com cérebro 3x maior que suas presa, em proporção ao corpo. Além disso, a antes besta fera com baixa acuidade mental e descrito como "Um gorila com uma picareta ao caçar", devido a ferocidade, brutez e estupidez, agora trata-se de um animal sim, muito feroz, mas igualmente inteligente e capaz de coordenar ataques em grupo, onde os membros mais jovens, leves e ágeis perseguiam a presa, deixando-a acuada, ao que os mais velhos, geralmente maiores e mais fortes apenas desferiam a já muito estudada mordida destruidora de mais de 5 toneladas. Então podemos reconstruir a frase da seguinte maneira: "Os T.rexes eram gorilas que atacavam com suas picaretas, mas de forma inteligente e coordenada onde o Gorila mais rápido perseguia e o mais forte abatia a presa". Ou seja, temos um animal sanguinário e feroz, mas não exatamente estúpido.
 Além de sua visão estereoscópica (com capacidade de profundidade ao caçar a presa em 3D), seu olfato e audição figurando entre os melhores da cadeia animal (inclusas a extinta e a vigorante) e sua mordida (a mais poderosa entre os dinossauros) o colocam mais uma vez como o mais poderoso concorrente ao posto de Rei dos Dinos.

O que mudou para:


Postura atual e estimativas do Carcharodontosaurus

[4] Carcharodontosaurus

POSTURA
ANTES                 DEPOIS
Bípede com pescoço ereto Bipede e horizontal (cabeça na linha de altura dos quadris)

Tal postura facilitaria na hora da caça e perseguição das presas, mas não o impedia de andar com o pescoço ereto. Tal postura reforçaria a tese de um animal comprido, alto, mas leve e esguio.

Spinosaurus x Carcharodontosaurus

HÁBITOS
ANTES                                 DEPOIS
Caçador Solitário      Provavelmente viviam em grupos, como outros Carcarodontossaurídeos
Caçador lento, pesado e "de espreita" Veloz, ágil e muito forte
Predador Máximo do seu Nicho Ecológico Dividia a paisagem com o magnífico Spinosaurus
Sem concorrente em batalhas por territorio Provavelmente disputavam dente-a-dente com  Spinosaurus

Primeiramente se pensava num predador pesado, lento e espreitador quando em 1996 descobriram seu tamanho como sendo talvez 2x o que se pensava anteriormente. Depois surgiu a teoria de que seria mais rápido, ágil e leve, podendo se locomover e reagir a investidas de adversários ou então, perseguir a presa sem maiores dificuldades. Então sua imagem foi ameaçada como predador máximo do nicho ecológico em que habitava, pela figura do poderoso Spinosaurus, á época tido como um megapredador sanguinário, bípede, duas vezes mais pesado, feroz, mais alto e muito mais forte. Atualmente se considera que ambos eram ligeiramente menores do que se pensava e, com toda certeza, disputariam mais no quesito agilidade e força do que no quesito tamanho e peso. Dois predadores de um mesmo nicho necessitariam de medidas corporais próximas e até peso parecido, caso contrário um acabaria extinguindo o outro em uma desigual competição.

Especies de Carcharodontosaurus

DIMENSÕES FÍSICAS
ANTES                  DEPOIS
Um dinossauro bastante alto (6m)   Mais baixo na nova postura (4.5-5m)
Carnívoro comprido   Continua, talvez sendo até mais longo do que se pensa
Estrutura óssea maciça e peso ao redor de 9 ton  Estrutura mais fina, peso mais leve, mais agilidade
Cerca de 15 m, 6 m de altura e 9 toneladas  Cerca de 13.6 m, 5 m de altura e 6 toneladas

Continua figurando no top 10 dos maiores dinos carnívoros, porém teve seu comprimento colocado como mais próximo do patamar de 13 m, em comparação a outras estimativas mais exageradas. Seria menos maciço do que imaginado, o que lhe afetaria positivamente, deixando-o mais ágil e próprio para responder em batalha.


Carcharodontosaurus x Aegyptosaurus
DIETA
ANTES                                    DEPOIS
Predador oportunista, atacando animais incautos    Ágil e forte carnossauro pronto para abater a presa
Não existiria concorrencia com outros dinos           Concorrentes diretos dos igualmente ferozes Spinosaurus
Ferozes e poderosos matadores            Poderia abater praticamente qualquer animal do meio

Portanto: Antes se imaginava o Carcharodontosaurus como um rei norte Africano sem concorrência, sendo ainda mais imenso, mas não tão feroz e devastador. Hoje as coisas mudam de figura. Ele seria extremamente feroz, capaz de destruir suas presas com seus dentes enormes de 15cm de altura, espessos e serrilhados e se valendo ainda das garras das mãos e pés que o ajudariam a agarrar e abater. Seu cranio enorme permitia uma bela mordida, provavelmente tão poderosa quanto a de um Giganotosaurus, que deveria sim ser algo bastante dilacerante. Sua dimensão longa não impedia o mesmo de ser um hábil caçador, por seu peso ser relativamente menor do que o pensado. Deveria ingerir algo em torno de 1.000 kg de carne/dia.

AGILIDADE
ANTES                                 DEPOIS
Pesado, robusto e bastante lento (10-15km/h) Estrutura mais leve, ágil e veloz (talvez passando de 25km/h)

Conclusões:
Tudo bem que os Carcharodontosaurus eram bastante primitivos ao que tudo indica no quesito inteligencia. Mas isso não contaria muito em sua vida, considerando seu alto grau de ferocidade, potencia física e força absurdos. Ele nascia com o aparato necessário para sobreviver e fazer o que um carnívoro faria de melhor: lutar, morder, arranhar e matar. Em seu caminho poderia encontra o igualmente feroz e enorme Spinosaurus, numa batalha bastante acirrada pelos domínios da atual africa.  Atualmente se admite que era mais leve e talvez mais rápido do que um T-rex, sendo colocado no mesmo patamar do Giganotosaurus, sendo o Carcha um pouco menos robusto e mais comprido que o "primo". Assim sendo, seu peso seria em torno de 7-8 toneladas, com poucas possibilidades de alcançar as 9 ou 10 ton.

Desta forma:
Devido a comparação com a estruturas de Espinossaur, Carcarodontossauro e Giganotossauro, se observou que o Tiranossauro era sim mais robusto, maciço e, seu peso, anteriormente creditado para 5 a 7 toneladas, subiu para mais de 8t. Atualmente se assume que alguns indivíduos maiores poderiam ter pesado em torno de 10-12 toneladas, sendo o mais robusto e pesado carnívoro.
"Sue", o fóssil mais completo ateriormente creditado a 5.4 a 7 toneladas, nos últimos anos se entendeu que teria entre 8.4 e 9.1 toneladas para seus quase 13 metros de comprimento e cerca de 4.5 de altura

Apesar dos materiais fósseis isolados, creio que Giga e T.rex ficariam entre 11 e 14 metros de comprimento máximo, pouco provavelmente ultrapassando mais de 14 m, ambos possuindo uma média de 12 metros. Já o Spino, acredito que ultrapassasse tranquilamente os 15 metros, sendo 18 m a probabilidade máxima exorbitante. Quanto a altura, o fato das posturas terem mudado um pouco nos ultimos tempos, nada impede que T.rex e Giga, na realidade andassem de pescoço ereto e erguessem o topo de suas cabeças durante boa parte do tempo. Quanto ao Spino, bem, sua postura mudou radicalmente, mas isso não significa que, por exemplo durante uma batalha, ele não possa ter se erguido sobre as patas traseiras e, ficando bastante alto, mordido a cabeça de um rival ou até, desferindo golpes com suas garras enormes e braços poderosos.

Um pouco de humor - Já indagava a "avó da Blue": "Se a Força da Mordida não conta/importa para Dinossauros, porque importaria para todo o resto?" (em tradução livre)

[MINHA OPINIÃO]
Colocando uma pitada de sal e rasgando com uma adaga com álcool as feridas nunca curadas dos fãs destes principais terópodes (incluo o Carcha também) gostaria de colocar algumas impressões pessoais no final do post.

Quero questionar alguns pontos:

[*] O Spinosaurus ser quadrupede deixa o animal menos interessante e feroz? Pra mim, jamais, muito pelo contrário, como já explanei nos posts.

[*] Quando lhe disserem que um dino é maior do que outro, por favor, não busquem por gravuras e desenhos na internet que lhe façam acreditar no que é irreal, como quando colocam um animal que é 30cm mais comprido e umas 2 toneladas mais leve sendo 2x mais alto e comprido. Você tem uma régua em casa? Aquelas transparentes escolares? Pois é, é por isso aí que dizem que, segundo as estimativas do Giganotosaurus, o Tyranossaurus rex não é o maior carnívoro do mundo, pois ele seria algo como cerca de 30cm mais curto mesmo ele sendo muito mais robusto e pesado que os demais, isso é facilmente observado no seu registro fóssil. Para um animal de 13 metros e 10 toneladas é algo irrisório. É como você ter um irmão 3 cm mais alto que você e achar que por isso, ele é algum tipo de divindade. Percebem? Estou considerando a estimativa, não a concretude do holótipo, que é 60 cm mais curto que "Sue", por exemplo (12.2 x 12.8m) e, por 60 cm eu não acreditarei que o Giganotosaurus é menos incrivel. Perceberam novamente? Que não faz o menor sentido para qualquer um dos "lados"? Na mídia estamos cansados de retrarem dois animais de porte quase identico de forma descabida e desproporcional, um com 12 m e 5 t por 4m de altura e o outro com 15m, 7m de altura e 10 toneladas. É tosco, é ridiculo sim, para ambos os lados.

[*] Se dois animais desses se enfrentassem na sua frente, como se você estivesse num filme de ficcção, digamos que um tenha 13 metros e o outro 13.2 metros, você realmente acha que isso, alguns ossos a mais na cauda, deixando-o ligeiramente maior, o tornariam muito mais poderoso, feroz e perigoso? Que vantagem teria nessa ficcional batalha de vida ou morte? Conseguem entender a indagação? Acha que o "13 metros" ia recuar pois percebeu que o outro tem 20cm de cauda a mais? Isso me parece beirar o ridículo.

[*] É perceptível que hoje o "dino a ser batido" é o Spinosaurus no quesito tamanho, posto que foi do T.rex durante quase 1 século. Antes todos os animais usavam o T.rex de parametro para tamanho. Hoje é com o Spino. Mas, em contrapartida, hoje o "dino a ser batido em potencia e força" continua sendo o T.rex.
 A evolução fez com que este último fosse mais apto e forte, mas ainda insistem em dizer que animais que são de 30 a 40 milhões de anos mais primitivos, são mais aptos e evoluídos.
Isso meus queridos, não é "fanboyzice" de ninguém, é ciência.  Entenderam? Não fui eu nem ninguém que inventou, mas sim, foi algo apurado por cientistas de gabarito, estudiosos profissionais.
Parece que surge um ideia mais ou menos assim na cabeça de quem é fã de dinos: "Ixi, agora o Espinossauro é quadrupede...putz, precisamos avacalhar e acabar com a imagem dos outros carnívoros gigantes, pra todo mundo ser nivelado por baixo". Isso é, mais uma vez, uma total falta de critério. Eu tento trazer novidades destas bestas feras magnificas e não criticá-las "por raiva", como uma garotada vivia dizendo por aí. Se eu acredito num T.rex de quase 16m? NÃO. Se eu acredito num Giga de 13 toneladas? NÃO. Se eu acredito num Spino bipede de 8 metros de altura, 20 de comprimento e 22 toneladas? NÃO.
Mas como tem gente respeitada que assevera todas as possibilidades acima descritas, temos de procurar entender, mesmo discordando. Os mesmo que me criticaram pelo post do Spinosaurus devem odiar (irracionalmente, claro) Ibrahim da mesma forma que eu, quando criança, adora Bob Bakker e odiava Jack Horner. E eles tem culpa alguma de suas teorias? NÃO. Quem estara certo no futuro? NÃO SABEMOS. O jogo mudo o tempo todo. Aquilo que estava descartado de repente parece sero mais certo de tudo. O tempo é o senhor da razão e a gente aprende, aprende e....morre burro.

Fecharei esta série de atualizações que derrubam algumas postagens antigas minhas e reforçarm outras, deixando as seguintes questões no ar:
 A necessidade de um terópode ser maior do que o outro passou, dos anos 90 e 00 para a necessidade de provar a qualquer custo a força e ferocidade do animal. Até que ponto isso é valido e interessante?
Isso atravanca o estudo e a evolução da coisa? "Seu" terópode precisa ser maior do que o "meu" por uma régua? O que isso muda? Isso torna ele algo divino? Se fosse um luta de boxe acho que aí sim a envergadura e altura contariam demais, não? Se o "seu" for maior e o "meu" muito mais forte, você vai ficar chorando por isso?

Mas isso tudo ainda tem um lado positivo, pois finalmente surge um "talvez".
No caso, um "talvez as pessoas estejam aprendendo que um animal maior não necessariamente seria mais feroz ou mais forte". Surge outro "talvez" então. O "talvez um animal ser maior do que outro não necessariamente o torne em algo muito grande ou então em algo essencialmente gigante". Estou eu aqui, numa manhã de Janeiro, divagando...